Fique atento aos sinais e sintomas que as crianças apresentam quando são vítimas de bullying

Fique atento aos sinais e sintomas que as crianças apresentam quando são vítimas de bullying

Existem alguns sinais de alerta e sintomas que crianças apresentam quando estão sendo intimidadas. Em geral, o público infatojuvenil que sofrem bullying não falam sobre a situação/ocorrência.  É importante que os adultos estejam atentos aos sinais/sintomas e caracterizas que o bullying está acontecendo. Entretanto, nem todas as crianças que sofrem bullying exibem sinais de alerta.
Normalmente, inicia-se com:

  • Relutância em frequentar a escola e de situações socais;
  • Falta de pertences;
  • Lesão corporal (machucados e hematomas constantes);
  • Roupas rasgadas/sujas/livros danificados;
  • Isolamento de amigos;
  • Mudanças nos hábitos alimentares (pular refeições ou compulsão alimentar);
  • Pedir dinheiro constantemente (indica que os agressores pegaram o seu dinheiro).

Subsequente ou conjuntamente o bullying provoca sintomas de grande impacto na saúde, tais como:

  • Explosões de agressivas e irritabilidade constante e sem motivo aparente;
  • Vítimas de bullying tem o dobro de chances de sofrer efeitos negativos na saúde: como dores de cabeças, barriga e estômago;
  • Efeito negativo sobre como se sentem sobre si mesmos;
  • Alunos que sentem culpabilização (que mereciam ser intimidados) são mais propensos em ter depressão, vitimização prolongada;
  • Insônia (pesadelos constantes);
  • Enurese noturna (conhecida como “xixi na cama”);
  • Declínio do desempenho acadêmico;
  • Comportamentos autodestrutivos (autoagressões, pensamentos suicidas, tentativas de suicídio).

É preciso avaliações abrangentes e cuidadosas para prevenir o bullying ou permitir a identificação precoce, pois representa uma ameaça à saúde das crianças e adolescentes.

Ao perceber que a criança está sendo vítima do bullying escolar. Converse com a criança, com a instituição de ensino e peça ajuda especializada. Os sinais/sintomas não devem ser negligenciados.

Seja você profissional da área da saúde ou da educação, familiares ou cuidadores fique atento as mudanças de comportamentos das crianças/adolescentes

Deixe uma resposta

Fechar Menu