BULLYING NÃO É BRINCADEIRA

BULLYING NÃO É BRINCADEIRA

Tem impacto devastador para a criança com TEA e para família.

Quais são as manifestações do bullying?

Em 2018, a Fundação das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), divulga que mundialmente metade dos estudantes entre 13 e 15 anos de idade já foram vítimas de bullying.

O bullying é um problema relacional e desiquilíbrio de poder, que envolve um abuso sistemáticos de repetitivas ações hostis e negativas dirigidas a um colega. O bullying se manifesta de diversas formas, algumas delas são muito sutis, que pode ser dividido em dois grupos:

O bullying “direto”: que envolve violência física (agressões, empurrões, agressões com objetos, roubar e danificar pertences) e violência verbal (insultar, provocar, ridicularizar, atitudes preconceituosas).

Bullying “indireto”: manifesto por isolamento social, exclusão intencional, materializadas em atos de disseminação de rumores ou na manipulação de laços de amizade (divulgação de histórias desagradáveis, indecentes, exclusão).

O impacto do bullying pode ser profundo e grave.  Um problema social crescente em todo os países.  Os adultos devem permanecer alertas e intervir se acreditarem que a criança está sendo vitimizado.

Sylvia Domingos Barrera. Manifestações de Bullying em Diferentes Contextos Escolares: um Estudo Exploratório. Psicologia: Ciência e Profissão, v.37, n.3, 2017.

Deixe uma resposta

Fechar Menu